Concentração de bixina e lipídios em sementes de urucum da coleção do instituto agronômico (IAC)

Resumo

Annato has wide genetic varieties that are known by different names including "focinho de rato", "cabeça de moleque", peruana, "bico de pato", yellow and piave. Different properties are used to characterize them, namely, size of plant, production period, shape and fruit color, dehiscence, etc. The last decade have been marked by genetic improvement researches, in order to reach greater productivity and, especially, higher pigment content. The IAC has at the Polo Regional Centro Norte, in Campinas-SP, a collection of annatto plants with more than 25 varieties, which in previous studies were evaluated regarding their agronomic characteristics. However, bixin and lipids levels were not studied and both characteristics of the annatto seeds are very important, once the industrial performance during dyes production may be directly affected. The aim of the present study was to validate a methodology for bixin determination in annatto seeds and to evaluate the IAC collection for bixin and lipids content. The proposed method showed a linear response for each compound analyzed in the work concentration range. The detection and quantification limits for the bixin, were, respectively 0.31 and 0.63 g per 100 g seeds. The repeatability study revealed a precise method; thus, significant variations have occurred when some parameters are changed, such as sample amount, time of extraction and absorption coefficient (). The trees in the collection exhibited relatively high levels of bixin in the seeds, ranging (on dried basis) from 3,12 ± 0,06% to 6,26 ± 0,06%. The levels of lipid varied from 1,97 ± 0% to 3,98 ± 0,09%. No correlation was observed between bixin and lipids concentrations. Existe uma extensa variedade genética no urucum que são conhecidas por denominações como "focinho de rato", "cabeça de moleque", "peruana", "bico de pato", "amarela", "piave" entre outras. Todas são caracterizadas por propriedades como porte da planta, período de produção, forma e cores das cachopas, deiscência, etc. A última década tem sido marcada por um melhoramento genético, buscando maior produtividade e, principalmente, maior teor de pigmentos. O Instituto Agronômico (IAC) comporta no Polo Regional Centro Norte, (Pindorama, SP), uma coleção de plantas de urucum, com mais de 25 acessos, que em trabalhos anteriores foram avaliadas quanto às suas características agronômicas. Contudo, os teores de bixina e lipídeos, que também são características importantes das sementes de urucum, pois afetam diretamente o rendimento industrial, não foram estudados. Este estudo teve como objetivo a validação de uma metodologia analítica de determinação de bixina e a caracterização da coleção do IAC quanto aos teores de bixina e lipídios. Os resultados indicaram que no método proposto houve linearidade na faixa de trabalho utilizada para a análise de sementes de urucum. Os limites de detecção e quantificação foram de 0,31 e 0,63 g de carotenóides totais expressos como bixina por 100 g de semente, respectivamente. O método foi preciso mas sensível a alterações na massa de amostra, tempo de extração e no coeficiente de absorção (). As árvores existentes na coleção possuem altos teores de bixina na semente, variando (em base seca) de 3,12 ± 0,06% a 6,26 ± 0,06%. Os teores de lipídios variaram de 1,97 ± 0% a 3,98 ± 0,09%. Não foram observadas correlações entre as concentrações de bixina e de lipídios.


Descrição

Assunto

urucum, bixina, lipídeos, Annato, bixin, lipids

Citação

Coleções