Histologia hepática e produção em tanques-rede de tilápia-do-nilo masculinizada hormonalmente ou não masculinizada

Resumo

The aim of this work was to evaluate the performance and the liver structure health of Nile tilapia hormonally masculinized or nonmasculinized, reared in cages with two protein levels. Two groups of Nile tilapia of Thai lineage (total 2,400), with 127 g initial average weight, were distributed in a completely randomized design with four treatments, in a 2x2 factorial arrangement, corresponding to the groups of hormonally masculinized or nonmasculinized fish, and to diet protein level of 28 or 32% of crude protein, with three replicates. After 115 days feeding, there was no interaction between the factors for final weight, weight gain, feed conversion rate, final length and survival. There was no difference between hormonally masculinized and nonmasculinized fish for final weight, weight gain, and survival, which shows the possibility of their production in cages, without the need of hormonal masculinization. Crude protein at 32% in the diet enables a better performance for both groups. Histological changes in the liver - such as increased cell volume, disruption of the cord-like arrangements, and increase of vesicles in the hepatocytes - are found in hormonally masculinized fish, and are more pronounced in fish fed 32% crude protein in the diet. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho e a sanidade da estrutura hepática de tilápia-do-nilo, masculinizada hormonalmente ou não masculinizada, criada em tanques-rede com dois níveis proteicos. Tilápias-do-nilo da linhagem Tailandesa (total de 2.400), com peso médio inicial de 127 g, foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos, em arranjo fatorial 2×2, correspondente aos grupos de tilápias masculinizadas hormonalmente ou não masculinizadas e ao teor proteico na dieta de 28 ou 32% de proteína bruta, com três repetições. Após 115 dias de alimentação, não houve interação entre os fatores quanto a peso final, ganho de peso, conversão alimentar, comprimento final e sobrevivência. Não houve diferença entre os peixes masculinizados hormonalmente e os não masculinizados, quanto a peso final, ganho de peso e sobrevivência, o que mostra a possibilidade de sua produção em tanques-rede, sem a necessidade de masculinização hormonal. A proteína bruta a 32% na dieta possibita melhor desempenho para ambos os grupos. Alterações histológicas no fígado - como o incremento do volume das células, o desarranjo da disposição cordonal e o aumento de vesículas nos hepatócitos - são encontradas nos peixes masculinizados hormonalmente e são mais acentuadas nos peixes alimentados com 32% de proteína bruta na dieta.


Descrição

Assunto

Oreochromis niloticus, proteína, reversão sexual, sanidade hepática, Oreochromis niloticus, protein, sex reversal, hepatic health

Citação

Coleções