Suplementação de enzimas exógenas em dieta microparticulada para larvicultura do pacu

Resumo

This experiment aimed to determine the effects of exogenous enzyme (porcine pancreatin) supplementation to microdiet on pacu Piaractus mesopotamicus growth, survival and changes on digestive tract morphology. Eight feeding programs were performed: Artemia nauplii feeding (AV), microdiet with enzymatic supplementation (DMP) or without supplementation (DM), weaning at the 5th day with supplemented (AV5DMP) or not supplemented diet (AV5DM) and weaning at the 10th day with supplemented diet (AV10DMP) or not supplemented diet (AV10DM). The experiment lasted 28 days. Larvae fed only alive prey during the whole period showed the highest mean weight values. The negative effect of Artemia suppression on larvae growth was noted on those which were weaned either on the 5th or 10th day of experiment. However, at the next growth evaluation, positive effects of enzyme supplementation were observed. After the 20th of experiment, the larvae fed exogenous enzyme supplemented diet showed higher mean weight values than larvae fed diet without supplementation. The most noticeable morphological changes between larvae that received the enzyme supplementation or not was observed for larvae weaned at the 5th day of experiment. The differences were on the amount of zymogen granules in the pancreas and intestine supranuclear inclusion. On the other hand, larvae weaned at the 10th of the experiment presented more advanced morphological differentiation, similarly to the larvae fed alive prey. The results of this experiment show positive effects of pancreatin supplementation on pacu larvae growth and survival. Este experimento foi realizado para avaliar os efeitos da suplementação de enzimas exógenas (pancreatina suína) em microdietas sobre o crescimento, a sobrevivência e as alterações morfológicas do trato digestório de larvas de pacu, Piaractus mesopotamicus. Foram testados oito programas alimentares: alimentação exclusiva com náuplios de Artemia (AV); alimentação exclusiva com dieta microparticulada com (DMP) ou sem (DM) suplementação enzimática; substituição, aos cinco dias, dos náuplios de Artemia por dietas inertes com (AV5DMP) ou sem (AV5DM) suplementação; e substituição dos náuplios aos dez dias por dietas com (AV10DMP) ou sem (AV10DM) suplementação. O experimento teve duração de 28 dias. Larvas que receberam o alimento vivo durante todo o período experimental apresentaram maiores médias de peso. O efeito negativo da supressão do alimento vivo sobre o crescimento das larvas foi verificado tanto na substituição aos cinco dias como aos dez dias. No entanto, nas avaliações biométricas subseqüentes, observaram-se efeitos positivos da suplementação enzimática; a partir do 20º dia de experimento, as larvas que receberam a dieta suplementada com enzima exógena apresentaram peso médio estatisticamente superior ao daquelas alimentadas com a dieta sem suplementação. As diferenças morfológicas mais evidentes proporcionadas pela suplementação enzimática foram observadas nas larvas que receberam substituição alimentar aos cinco dias. As diferenças foram relativas à quantidade de grânulos de zimogênio no pâncreas e às inclusões supranucleares no intestino. As larvas submetidas à transição alimentar aos dez dias de experimento já apresentavam diferenciação morfológica do sistema digestório mais avançada, assemelhando-se muito às larvas do tratamento com alimento vivo. Os resultados deste experimento indicam que a suplementação com pancreatina proporcionou efeitos positivos sobre o crescimento e a sobrevivência das larvas de pacu.


Descrição

Assunto

alimentação de larvas, dieta inerte, pancreatina, suplementação enzimática, transição alimentar, enzymatic supplementation, inert diet, larvae feeding, pancreatin, weaning

Citação

Coleções