Viabilidade econômica de doses e parcelamentos da adubação nitrogenada na cultura do milho em LATOSSOLO VERMELHO Eutrófico

Resumo

Nitrogen is the nutrient that is most absorbed by the corn crop, with the most complex management, and has the highest share on the cost of corn production. The objective of this work was to evaluate the economic viability of different rates and splitapplications of nitrogen fertilization, as such as urea, in the corn crop in a eutrophic Red Latosol (Oxisol). The study was carried out in the Experimental Station of the Regional Pole of the Sao Paulo Northwest Agribusiness Development (APTA), in Votuporanga, State of Sao Paulo, Brazil. The experimental design was randomized complete blocks with nine treatments and four replications, consisting of five N rates: 0, 55, 95, 135 and 175 kg ha¹, 15 kg ha¹ applied in the seeding and the remainder in top dressing: 40 and 80 kg ha¹ N at forty days after seeding (DAS), or ½ + ½ at 20 and 40 DAS; 120 kg ha¹ N splitin ½ + ½ or ⅓ + ⅓ + ⅓ at 20, 40 or 60 DAS; 160 kg ha¹ N split in ¼ + ⅜ + ⅜ or ¼ + ¼ + ¼ + ¼ at 20, 40, 60 and 80 DAS. The application of 135 kg ha¹ of N split in three times provided the best benefit/cost ratio. The nonapplication of N provided the lowest economic return, proving to be unviable. O nitrogênio é o nutriente extraído em maior quantidade pelo milho, o de manejo mais complexo e o que mais onera o custo de produção da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade econômica de diferentes doses e parcelamentos da adubação nitrogenada, na forma de uréia, na cultura do milho em LATOSSOLO VERMELHO Eutrófico. O estudo foi conduzido na Estação Experimental do Pólo Regional do Desenvolvimento dos Agronegócios do Noroeste Paulista (APTA), em Votuporanga, Estado de São Paulo. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com nove tratamentos e quatro repetições, constituído de cinco doses de N: 0, 55, 95, 135 e 175 kg ha¹, aplicandose 15 kg ha¹na semeadura e o restante em cobertura, combinadas a diferentes fracionamentos em cobertura: 40 e 80 kg aos 40 dias após a semeadura (DAS) ou ½ + ½ aos 20 e 40 DAS; 120 kg ha¹ de N fracionados em ½ + ½ ou ⅓ + ⅓ + ⅓ aos 20, 40 ou 60 DAS; 160 kg ha¹ de N parcelado sem ¼ + ⅜ + ⅜ ou ¼ + ¼ + ¼ + ¼ aos 20, 40, 60 ou 80 DAS. A aplicação de 135 kg ha¹ de N parcelada em três vezes proporcionou maior relação benefício/custo. A não aplicação de N proporcionou menor retorno econômico, demonstrando ser inviável.


Descrição

Assunto

Zea mays, custo de produção, receita bruta, benefício/custo, uréia, Zea mays, production cost, gross revenue, beneficial/cost, urea

Citação

Coleções