Temperaturas e períodos de molhamento foliar no desenvolvimento da ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar (Puccinia kuehnii)

Resumo

ABSTRACT Considering the lack of epidemiological studies on orange rust of sugarcane in Brazil and the importance of this crop in the Brazilian agribusiness, the aims of this study were to determine the influence of temperature and leaf wetness duration on the epidemiology of this disease. Twenty-day-old plants of the cultivar SP 89-1115 were inoculated with the fungus Puccinia kuehnii at a concentration of 2 x 104 urediniospores.mL. Experimental design was completely randomized (DIC), in 5x7 factorial arrangement, representing five temperatures (17.5, 20.0, 22.5, 25.0 and 27.5°C) and seven leaf wetness periods (0, 4, 8, 12, 16, 20 and 24 hours), including three replicates. Ideal temperatures for orange rust development were 20.0, 22.5 and 25.0°C, of which the latter was the best. At temperatures of 22.5 and 25.0°C, pustules increased in number with 20 hours leaf wetness but decreased with 24 hours wetness. No disease symptoms were observed at 0, 4 and 8 hours leaf wetness for all tested temperatures. Similarly, the disease did not occur at a temperature of 27.5°C for all tested combinations of leaf wetness duration. Epidemiological studies of this disease are important to devise control strategies and eventually develop a forecasting system for orange rust of sugarcane. RESUMO Devido à escassez de estudos epidemiológicos da ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar no Brasil e a importância dessa cultura no agronegócio brasileiro, objetivou-se neste trabalho determinar a influência da temperatura e do período de molhamento foliar na epidemiologia dessa doença. Foram utilizadas plantas da cultivar SP89-1115 com vinte dias de idade inoculadas com o fungo Puccinia kuehnii na concentração de 2 x104 de uredósporos/mL. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado (DIC) em esquema fatorial 5x7 sendo cinco temperaturas (17,5 ; 20,0 ; 22,5 ; 25,0 e 27,5°C) e sete períodos de molhamento foliar (0 ; 4; 8; 12; 16; 20 e 24 horas), com três repetições. As melhores temperaturas para o desenvolvimento da ferrugem alaranjada foram 20,0; 22,5 e 25,0°C sendo esta última a melhor. Nas temperaturas de 22,5 e 25,0°C com 20 horas de molhamento foliar foram observadas que as pústulas apresentaram-se em maior número decrescendo com 24 horas de molhamento. Não foi observado sintomas da doença nos períodos de molhamentos foliares de 0, 4 e 8 horas em todas as temperaturas testadas. Também não ocorreu a doença na temperatura de 27,5°C em todas as combinações dos períodos de molhamentos foliares testados. Estudos de epidemiologia dessa doença são importantes para traçar estratégias de controle e futuramente desenvolver um sistema de previsão para a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar.


Descrição

Assunto

Epidemiologia, Saccharum spp, Fatores climáticos, Epidemiology, Saccharum spp., weather factors

Citação

Coleções