Leaf anatomy of cassava ( Manihot esculenta Crantz. cv. IAC-12) after herbicides application to control weeds in Minas Gerais, Brazil

Resumo

Abstract Micro-morphological changes precede the appearance of visible damage after herbicide application and are essential in providing data for the safe recommendation in chemical management of weeds. Therefore, the aim of this research was to verify the anatomical changes of leaf tissue caused by application of herbicides in cassava (Manihot esculenta Crantz.cv. IAC-12). A greenhouse experiment was conducted with post-emergence herbicides treatments as follows: nicossulfuron (60 g a.i ha-1), fluazifop (250 g a.i ha-1), fomesafem (250 g a.i ha-1), metribuzin (480 g a.i ha-1), oxyfluorfen (720 g a.i ha-1) and the mixture fluazifop + fomesafen (200 + 250 g a.i ha-1), and an untreated control, respectively. The results obtained have allowed to affirm the cassava plants (cultivar IAC-12), exhibited changes in leaf anatomy in response to herbicide application even on cassava leaves without no visual toxicity symptoms. The products caused alterations both in tissue thickness as in tissue proportion in the leaf blade. For the fluazifop, a eudicotyledonous selective herbicide, changes were observed in tissue thickness and proportion of leaf blade, even without any visual toxicity detected. Cassava plants (IAC-12), showed structural changes in leaf anatomy in response to application of herbicides. The leaf anatomy of cassava cv. IAC-12, can be used to indicate the herbicide effect on cassava (Manihot esculenta Crantz.cv. IAC-12) plants. Resumo Mudanças micro-morfológica precede o aparecimento de danos visíveis após a aplicação do herbicida e são essenciais no fornecimento de dados para a recomendação segura no manejo químico de ervas daninhas. Assim, o objetivo deste trabalho visou verificar as alterações anatômicas do tecido foliar causada pela aplicação de herbicidas em mandioca (Manihot esculenta Crantz.cv. IAC-12). Um experimento foi conduzido em ambiente protegido com os seguintes herbicidas aplicados em pós-emergência na cultura da mandioca: nicossulfuron (60 g i.a ha-1), fluazifop (250 g i.a ha-1), fomesafem (250 g i.a ha-1), metribuzin (480 g i.a ha-1), oxyfluorfen (720 g i.a ha-1), a mistura fluazifop + fomesafen (200 + 250 g ha-1), e um tratamento sem aplicação de herbicidas. Os resultados obtidos permitem afirmar que as plantas de mandioca (cultivar IAC-12) apresentaram mudanças na anatomia foliar, em resposta à aplicação do herbicida até mesmo em folhas sem nenhum sintoma visual de intoxicação. Os produtos causaram alterações tanto na espessura do tecido como na proporção de tecidos na lâmina de folha. Para o fluazifop, um herbicida seletivo para espécies eudicotiledôneas foram observadas alterações na espessura do tecido e na proporção de lâminas foliares, mesmo quando não foram detectadas sintoma visual de intoxicação nas folhas. As plantas de mandioca (IAC-12) apresentaram mudanças estruturais na anatomia foliar em resposta à aplicação de herbicidas. A anatomia da folha da mandioca (Manihot esculenta Crantz.cv. IAC-12) é um parâmetro para indicar o efeito de herbicidas em relação as avaliações visuais.


Descrição

Assunto

Post-emergence herbicides, selectivity, tissue thickness and proportion, visual toxicity, weed chemical management, Espessura e proporção do tecido, intoxicação visual, herbicidas pós-emergência, manejo químico de plantas daninhas. Seletividade

Citação

Coleções